segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Edição nº 53


Crónica

O Instituto Açoriano de Cultura
Desde a sua génese que o Instituto Açoriano de Cultura se ocupa e preocupa com a consolidação da sociedade açoriana, através da divulgação e do debate de temas ligados à contemporaneidade, no âmbito de um projecto cultural integrado e numa perspectiva de fortalecimento da massa crítica necessária ao desenvolvimento, a partir da “polis”, do nosso futuro colectivo.

Um dos vectores de acção que sempre nos acompanhou, tem sido a organização de seminários, colóquios e debates que, desde as primeiras “Semanas de Estudos”, têm permitido a abordagem consistente e fundamentada de matérias fulcrais e importantes para o entendimento da actualidade.

Outra das áreas de intervenção do IAC vem sendo a divulgação de artistas plásticos e respectivas obras, fazendo deslocar aos Açores exposições da maioria dos mais conceituados artistas nacionais, as quais foram apresentadas por todos o arquipélago açoriano, bem como o estudo e divulgação de obras de artistas açorianos, tais como o Arquitecto João Correia Rebelo, o Pintor José Nuno da Câmara Pereira, entre outros, para divulgação dentro e fora da Região.

No campo editorial, e na qualidade de maior editor regional, o IAC vem, ao longo das suas mais de cinco décadas de existência, mantendo uma actividade regular, destacando-se a Revista Atlântida, os livros do Inventário Imóvel dos Açores e muitas outras obras que estão maioritariamente disponíveis para o público interessado, em diversas livrarias ou através da nossa biblioteca virtual, que se encontra inserida no nosso site (www.iac-azores.org). Essas edições são distribuídas gratuitamente aos nossos associados activos.
Um dos projectos emblemáticos realizado por este Instituto foi a inventariação do património arquitectónico açoriano, desencadeado por um contrato firmado com o Governo Regional do Açores. Este foi desenvolvido nos últimos 13 anos, durante os quais se percorreram todas as ruas, de todas as freguesias dos 19 concelhos açorianos, identificando--se e inventariando-se todas as construções que, à luz de critérios técnicos e científicos, são consideradas exemplares e a proteger.

Outro dos nossos projectos-bandeira foi a produção e edição da primeira História dos Açores que, contando com a direcção científica de Artur Teodoro de Matos, Avelino de Freitas de Meneses e José Guilherme Reis Leite, foi concretizada com a elaboração de textos da autoria de três dezenas de especialistas em cada um dos períodos e áreas tratados. Esta obra, apresentada em dois volumes, retrata historicamente o arquipélago açoriano desde o seu povoamento até ao final do segundo milénio.

Tem sido ainda uma constante da nossa actividade a divulgação de temáticas e intervenientes tão díspares como a performance, a música contemporânea, as instalações… tornando difícil a definição exaustiva de uma instituição que nega e rejeita a si própria qualquer noção de confinamento físico, geográfico, ideológico ou temático. Estamos conscientes que a sobrevivência de estruturas como a nossa depende prioritariamente da importância que a sociedade envolvente lhe atribui. Sendo que, essa necessidade passará obrigatoriamente pelo serviço prestado e pelo contributo social concretizado.

Com esse objectivo e, como instituição de natureza associativa considerada de utilidade pública e sem fins lucrativos, que conta com um número de associados que ultrapassou no passado ano de 2010 a barreira do milhar, propomo- -nos a dar continuidade a esse projecto sempre actual de, através da cultura, reivindicarmos um papel activo e produtivo a nível regional, nacional e (porque não?) global.

Paulo Raimundo - IAC

Colaboradores:


Capa: "A Nebulosa Planetária da Hélice" de NASA, ESA, C.R. O’Dell, M. Meixner e P. McCullough
Ciência: Pedro Afonso
Arquitectura e Artes Plásticas: Ana Correia, Margarida Melo Fernandes
Música e Literatura: Victor Rui Dores
Cinema e Gatafunhos: Tomás Melo

Clicando no quadro seguinte poderá folhear, ler ou fazer download do jornal para o seu computador:


3 comentários:

Gigilio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Gigilio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Júlio Correia da Silva disse...

Gosto de ser surpreendido (positivamente) mesmo por aqueles de quem gosto muito. Nesse sentido, como forma do Fazendo surpreender os seus leitores, sugiro que inclua uma secção sobre desporto, privilegiando a sua prática em detrimento da sua observação. Poderia ser tratado um desporto de cada vez. Talvez a entrevista fosse a forma mais interessante de tratar o assunto. Poderiam ser entrevistados os diversos actores: praticantes, treinadores e dirigentes.